Membros da segurança pública são vacinados

Profissionais que atuam na linha de frente no Estado serão imunizados dentro de quatro semanas, prevê secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda. “Nossas forças de segurança e o salvamento foram duramente penalizados com percentual de contaminação”, destaca governador ao lembrar que, nessa primeira fase, serão vacinados 1.250 servidores da ativa na capital e 5 mil em todo Estado. Titular da Saúde, Ismael Alexandrino fala em avançar grupos prioritários para incluir trabalhadores da educação

Membros da segurança pública são vacinados

Integrantes ativos das forças de segurança pública que atuam em Goiás começaram a se vacinar contra a Covid-19 nesta segunda-feira (29/03). “A data de hoje é extremamente importante pra mim. É mais um passo para dizer àqueles que estão na linha de frente: tenham o reconhecimento do Governo de Goiás”, disse o governador Ronaldo Caiado durante visita à estrutura montada na Academia da Polícia Militar, em Goiânia. Ele estava acompanhado da presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado.

O governador, que também é médico, foi o responsável por aplicar a primeira dose em oito integrantes das forças de segurança que agora pertencem ao grupo prioritário da vacinação no Estado: o policial militar tenente Eliezer Augusto Neto Siqueira, o policial federal Mário Ribeiro, o policial civil Haroldo Neiva Moreira Filho, o guarda civil metropolitano Carlos Antônio Cordeiro, o policial penal Jânio Carmo da Silva, o policial rodoviário federal Newton Moraes, o perito criminal Nikolas Christopher Charalabopoulos e o bombeiro militar 2º tenente Jales Alves Soares.

O policial penal Jânio Carmo, que tem 51 anos e é lotado no Grupo de Operações Penitenciárias, afirmou ter ficado com as esperanças renovadas após receber a primeira dose da vacina. "Bem mais animado agora", disse ao lembrar das dificuldades enfrentadas até aqui. "Muitos colegas ficaram doentes. Uns com sintomas mais leves e outros, como o Rodolfo, vieram a falecer. Não esqueço isso. É muito ruim ver colegas e familiares passando por isso", lamentou. 

Caiado lembrou que a imunização das tropas foi aprovada pelo Centro de Emergências de Goiás (COE-GO). A inclusão delas ao grupo prioritário considerou um estudo da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) sobre o grau de exposição desses profissionais. Segundo os dados atualizados pela SSP na última sexta-feira, 26/03, desde o início da pandemia 4.295 já foram acometidos pela Covid-19. A taxa de contágio é superior a 18%, quase o triplo se comparada com a população em geral. “Nossas forças de segurança e também o salvamento foram duramente penalizados com percentual de contaminação e, infelizmente, o número de óbitos chegou a 47”, ressaltou o governador. 

Serão contemplados com a vacina os servidores da ativa com mais de 51 anos. O titular da SSP-GO, Rodney Miranda, informou que essa primeira fase deve imunizar 1.250 profissionais na capital e cerca de 5 mil em todo o Estado. Já os servidores da reserva serão vacinados no calendário normal. “A prioridade, aqui, é para aqueles que estão na linha de frente do enfrentamento tanto da violência quanto da pandemia”, relatou. A previsão é concluir a aplicação da primeira dose neste grupo em até quatro semanas. 

A superintendente da Polícia Federal, Cassandra Ferreira Alves, classificou essa inclusão das forças de segurança ao calendário de imunização como uma “vitória coletiva”. “Estávamos com um peso enorme de permanecer em atividade. Não é possível realizar trabalho de casa, por telefone, por computador, a gente precisa estar na rua, nossas equipes são mobilizadas constantemente.”

A resolução n° 030/2021, da Coordenação da Comissão Intergestores Bipartite do Estado de Goiás (CIB), prevê a reserva de 5% do quantitativo de imunobiológicos contra Covid-19 recebidos pelo Estado para a vacinação das forças de segurança. O secretário da Saúde, Ismael Alexandrino, garantiu que a ação não vai interferir no andamento do calendário para idosos. “Ninguém será prejudicado. Goiânia, por exemplo, já conseguiu abaixar para 66 anos de idade e, se Deus quiser, vamos abaixar dia a dia até chegarmos a 60 nos próximos 15 dias”, salientou. 

Grupos prioritários

Ismael pontuou que as ações do Estado seguem o Plano Nacional de Imunização. “Obviamente que, a depender da dinâmica da sociedade, [os grupos prioritários] são pautados na nossa Comissão de Gestores Bipartite, e aí acontece a deliberação e a votação”, explicou. No caso das forças de segurança, houve uma prioridade devido ao alto grau de contaminação, como já explicado no estudo feito pela SSP-GO. 

Ismael confirmou a possibilidade de incluir outras categorias aos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19. É o caso dos servidores da educação. “Nós entendemos, assim como a Organização Mundial de Saúde preconiza, que a atividade de educação deve ser a última a ser fechada e a primeira a ser aberta”, ponderou. “Nós precisamos abrir as escolas em alguma porcentagem e, para que isso aconteça, é fundamental que os professores estejam imunizados”, declarou. 

“Assim que terminarmos essa força-tarefa, das forças de segurança e salvamento que já estão na rua, teremos condição de votar uma proporcionalidade para os professores, porque eles vão se expor também, vão voltar suas atividades e só estaremos seguros quando todos estiverem seguros”, concluiu o secretário da Saúde.

Também estiveram presentes o secretário de Estado da Casa Militar, coronel Luiz Carlos de Alencar; o superintendente interino da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Luiz Fernando Sanches;  o comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, coronel Renato Brum dos Santos; o comandante do Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás, coronel Esmeraldino Jacinto de Lemos; o diretor-geral da Administração Penitenciária (DGAP), tenente-coronel Franz Augusto Marlus Rasmussen Rodrigues; o delegado-geral da Polícia Civil (DGPC),  Alexandre Pinto Lourenço; o superintendente da Polícia Técnico-Científica (SPTC), Marcos Egberto Brasil de Melo e o comandante da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCM), Wellington Paranhos Ribeiro.

Fotos: Júnior Guimarães

Qual é a sua reação?

like
0
dislike
0
love
0
funny
0
angry
0
sad
0
wow
0